Vereador é impedido de entrar no Hospital de Patos

19/03/2021

De maneira injustificável, o vereador Josmá Oliveira foi impedido de entrar no Hospital Regional de Patos, o que causou estranheza no parlamentar, pois, além de ser um cidadão da sociedade patoense, de estar protegido em relação à covid-19, é um parlamentar da Câmara Municipal de Patos e uma das suas funções consiste em investigar, quando se fizer necessário.

O triste fato aconteceu no dia 17 de março, quarta-feira, com diversas pessoas assistindo a drástica ação de funcionários daquela casa de saúde.

Ao ter bloqueado o seu acesso, simplesmente perguntou qual a razão do indelicado gesto. Se havia algo para esconder, “algo que eu não possa ver”, não obtendo resposta.

Diante do lamentável acontecimento, retirou-se, para não causar tumulto, aguardando uma justificativa por parte da direção daquele nosocômio, o que não aconteceu, mas, de maneira descabida, fizeram divulgar uma nota caluniosa, atribuindo à sua pessoa algo que não praticou em relação à falta de determinados medicamentos.

“Vejam, além de fecharem as portas do hospital para minha pessoa, tendo sido vítima de fake News, divulgaram uma nota na imprensa, atribuindo à minha pessoa uma coisa que não pratiquei. Isso é algo que vamos apurar, pois sou um homem sério, honrado e não agiria de maneira desonesta ou leviana com minha consciência!”

Assessoria Nota de Resposta O ambiente hospitalar é um espaço restrito a funcionários, pacientes e seus acompanantes em função de risco biológico, principalmente, na atual pandemia de Covid-19. Fiscalizações neste ambiente são restritas a entidades como o CRM e demais Conselhos de classe, além de órgãos fiscalizadores, a exemplo da Agevisa, Vigilância Sanitária, Anvisa e Ministério Público. O vereador Josmá Oliveira, como agente público do legislativo municipal pode fiscalizar instituições no âmbito de sua jurisprudência, o que não é o caso do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC). Mas, mesmo assim, o parlamentar foi recebido pela diretora técnica, Dra. Jaqueline Andrade, só não entrou na Farmácia para fiscalizar porque essa ação não lhe compete. Quando a nota divulgada, o Complexo mantém o teor de seu conteúdo. Assessoria

Imagens

Vídeos