Bolsonaro lidera união dos três poderes contra a COVID-19

24/03/2021

Após um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão em que adotou um tom mais conciliador e pacífico, o Presidente da República Jair Bolsonaro comandou na manhã desta quarta-feira (24/03) uma reunião com os presidentes dos Poderes Legislativo e Judiciário e com governadores aliados.

Terminada a reunião, Jair Bolsonaro e os demais participantes, afirmaram que será criado um comitê para gerenciar a crise da pandemia de Covid-19 com a participação de todos os principais líderes da República.

No discurso de todos os participantes o registro de que a reunião foi harmoniosa e teve como objetivo minimizar o efeito da pandemia na sociedade e sustentar ainda mais o compromisso do Estado brasileiro com a vida humana.

“Vamos criar um comitê com os governadores para decidirmos e redirecionar recursos para o combate do coronavírus. Vamos nos dedicar à vacinação em massa, mas também ao tratamento precoce”, disse Jair Bolsonaro.

“É uma doença ainda desconhecida, uma nova cepa ou novo vírus apareceu. Vamos dar tratamento adequado às pessoas. Não temos ainda o remédio. Nossa união e esforço para aquilo que realmente interessa”, acrescentou.

Ficou decidido que estará a cargo do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) comandar as conversas com os governadores estaduais e do Distrito Federal e que as reuniões serão semanais.

“A reunião é a expressão pura do que a sociedade espera dos agentes públicos. […] Será um pacto nacional liderado por quem a sociedade espera que lidere, que é o presidente Jair Bolsonaro. Reconhecemos que medidas precisam ser urgentemente tomadas e a liderança técnica do ministério da saúde”, disse Rodrigo Pacheco.

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, por sua vez, iniciou seu discurso destacando que o encontro foi “do mais alto nível, caracterizado pela harmonia entre os poderes” e que serão produzidos pela pasta a criação de “protocolos assistenciais” para uniformizar as políticas nacionais.

Arthur Lira (PP-AL), destacou que é preciso que o governo e as autoridades “consigam comunicar melhor” com a sociedade.

“A expectativa de todos com essa reunião com uma presença muito significativa com governadores, ministros, representantes de todos os poderes, com a união de todos para que consigamos nos comunicar melhor, despolitizar a pandemia, desarmar espíritos e tratar todos juntos. Falarmos uma linguagem só, com acompanhamento diário, com comunicação adequada por todos os canais de comunicação […] para que possamos, coordenados obviamente pelo presidente, termos um único discurso e uma única orientação nacional”, pontuou.

O Supremo Tribunal Federal (STF) também esteve presente representado na pessoa de seu presidente, Luiz Fux, que afirmou que a participação do poder Judiciário será “verificar estratégias capazes de evitar a judicialização, que é um fator de demora na aplicação dessa medidas”.

Ronaldo Caiado, governador de Goiás, falou em nome dos governadores presentes e destacou que a reunião foi “especial” porque “todos os poderes estiveram presentes”.

“Aquilo que foi proposto pelo presidente do Senado foi acolhido pelo presidente, que estará à frente dessa comissão, para dar as diretrizes que todos os governadores e prefeitos devem tomar. Foi construído um ponto de concórdia que é a convergência de todos para salvar vidas”, afirmou Caiado.

As ausências do encontro em Brasília foram a dos governadores de São Paulo, João Doria, Rio Grande do Sul, Eduardo Leite e do Maranhão, Flavio Dino.

Imagens

Vídeos