Sete jornalistas paraibanos morreram de Covid-19

07/04/2021

De acordo com o levantamento feito pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), a Paraíba tem o maior número de jornalistas mortos pela Covid-19 no Nordeste desde março de 2020, com sete registros. O dossiê foi divulgado nesta quarta-feira (7), justamente quando se comemora o Dia do Jornalista.

Além da Paraíba, o ranking dos estados nordestinos tem Sergipe e Ceará (cinco mortes cada); Maranhão, Bahia e Pernambuco (quatro mortes cada); Alagoas e Piauí (três mortes cada) e Rio Grande do Norte (duas mortes)

O levantamento ainda destaca que apenas no último mês de março, foram registradas 47 mortes de jornalistas pela Covid-19 em todo o país, o maior número desde o início da pandemia. Desde o início da pandemia, em março de 2020, foram 169 profissionais vítimas da doença no período.

Entre as vítimas

Um dos primeiros profissionais paraibanos que foram vítimas da Covid-19 foi Humberto Lira, de 77 anos, que por décadas foi repórter do Jornal Correio da Paraíba. Ele faleceu em 31 de agosto de 2020, no Hospital Santa Isabel, em João Pessoa.

Entre as vítimas também estão Karina Araújo, que morreu em setembro de 2020, aos 48 anos, em Campina Grande; Fernando Santos, também de Campina Grande, que faleceu aos 54 anos em janeiro deste ano; e o veterano jornalista, radialista e advogado Otinaldo Lourenço de Arruda Melo, que morreu aos 86 anos em fevereiro.

Imagens

Vídeos